quarta-feira, 28 de abril de 2010

Que queres, então, que eu faça, Senhor?

"Certa noite, estando a dormir, pela segunda vez ouve alguém perguntar-lhe afectuosamente para onde tenciona ir.
E como ele expusesse os seus planos e dissesse que ia para a Apúlia combater, insistiu a voz em perguntar-lhe:
-«De quem tens mais a esperar, do servo ou do senhor?
-Do senhor, respondeu Francisco.
-E porque então corres atrás do servo, em vez de servires o senhor?
-Que queres, então, que eu faça, Senhor?
-Volta à terra que te viu nascer, que eu farei se cumpra espiritualmente a visão que tiveste.»" 1ª Tomás de Celano 6, 5-10

Eis-me aqui Senhor,
nesta nova manhã em que
me convidas a abandonar-me nas tuas mãos
para viver novos desafios,
e trilhar novos caminhos Contigo,
à Luz da Tua Palavra e Vontade.
Um novo dia em que me convidas
a caminhar a teu lado,
a escutar-te para encontrar a verdade
que me faz uma pessoa única aos teus olhos.
Quem sou eu, Senhor?
Quem és Tu, meu Deus,
que me ama profundamente
sem nunca me abandonar?
Que queres Senhor que eu faça?
Que projecto tens para mim?
Molda-me segundo a Tua Vontade,
com Tuas mãos ternurentas e macias,
como o oleiro molda o barro com as suas mãos.
E hoje eu quero ser o barro
que se quer deixar transformar nas Tuas mãos!
Dissipa os meus medos,
minhas incertezas e inseguranças,
faz-me livre com a água da Verdade
que utilizas para me formares e fazeres crescer.
Faz de mim instrumento nas Tuas mãos.
Instrumento de Paz, de Bem e de Fraternidade.
Eis-me aqui, Senhor.
Àmen.
Frei Filipe

Sem comentários:

Enviar um comentário