sexta-feira, 30 de julho de 2010

Pobreza de espírito

"Cuidem todos os irmãos de imitar a humildade e pobreza de nosso Senhor Jesus Cristo, e lembrem-se que, dos bens deste mundo, nada mais precisamos ter do que diz o Apóstolo: - Tendo nós que comer e que vestir, com isso nos devemos contentar. E devem alegrar-se quando se encontram entre a gente vulgar e despresível, entre os pobres e fracos, os doentes e leprosos e os mendigos dos caminhos ". 1ªRegra 9, 1-2.



É mais uma proposta, mais um desafio para o nosso dia a dia, perguntando-nos a nós mesmos: qual é o nosso modo de estar no meio desta gente destacada neste trecho das palavras de Francisco? Com que sentimentos nos colocamos diante deles? A alegria, que Francisco nos adverte, exige, de certa maneira, uma postura profunda de consideração e respeito pela sua dignidade humana, empatia e compreensão pela sua condição, partilha da sua amargura, entrega e disponibilidade para os servir, ajudando-os na sua busca de felicidade. Foi assim que Francisco conheceu o mundo dos pobres, de uma maneira concreta, pelo contacto com os leprosos. Continuemos, irmãos, a rezar, a pedir, que o Senhor nos ajudará a melhorar a nossa maneira de estar e ser com os pobres, os despresíveis, os fracos e os doentes.
Frei Tendai

Sem comentários:

Enviar um comentário