sábado, 31 de julho de 2010

"Sim, amemos a Deus e adoremo-Lo com um coração puro e alma simples, porque é isso o que ele mais que tudo deseja quando afirma: Os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade (Jo 4,23). Porque todos os que O adoram, devem adorá-Lo em espírito e verdade (Jo4, 24). Dia e noite Lhe dirijamos louvores e preces, dizendo: Pai nosso, que estais nos céus, porque importa orar sempre e sem cessar (Lc 18,1)."
.
2ª Carta de São Francisco a todos os fiéis 19-21


Queridos irmãos leitores, hoje, ao ler a 2ª Carta a Todos os Fiéis, este parágrafo tocou-me de forma especial. Convida-me a adorar a Deus sempre e em cada instante, "com um coração puro e alma simples".

Por vezes, na oração, naquele encontro íntimo com o Senhor, o maior obstáculo que encontro sou eu mesmo, com as minhas complicações, com os meus egoísmos, as minhas limitações; quando, no fundo, o Senhor quer estar comigo com aquilo que sou e tenho, pedindo-me apenas que confie plenamente n'Ele. Oh, como é bom ter assim um Deus, um Pai. Penso que é o desafio de todo o Homem, ser capaz de sair de si mesmo para estar com Deus, porque só assim poderá sair ao encontro do Outro, nos outros.

Neste tempo, quero também estar unido em espírito com tantos e tantos jovens que dão tempo das suas férias para ir ao enconto de Deus em experiências de oração, lembrando, de forma particular, Taizé, essa comunidade ecuménica que, pela mão do Irmão Roger, superou obstáculos religiosos (saiu de si mesma) para dar lugar apenas e só ao que realmente importa: Deus que se fez homem em Jesus, e que se quer manifestar continuamente em cada um. Que seja, pois, um espaço de verdadeiro encontro para a vida de cada um.


Santa tarde!


Frei Sérgio

Sem comentários:

Enviar um comentário