quinta-feira, 9 de junho de 2011

OS SANTOS SEM FRONTEIRAS

Santo António de Lisboa pertence ao número dos santos sem fronteiras. Lisboeta e português de puro sangue, foi pelo mundo fora ainda novo.

Não partiu de Portugal por espírito de aventura ou para conquistar outros povos, mas para levar a Boa Nova de Jesus Cristo Salvador.

Santo António de Lisboa foi um pregador eloquente e incansável, mas foi, sobretudo, um homem de fé robusta, traduzida em amor à justiça, à fraternidade e à verdade. A sua palavra e a sua presença e dissipava todo o erro e comunicava vida, especialmente a quem errava e sofria.

Viveu parte sua vida e sobretudo os seus últimos anos, em Pádua (norte de Itália). Aí trabalhou sem se poupar pela causa de Deus; Aí foi amado e respeitado pelo seu saber e pelo seu amor aos pobres. O povo chamava-lhe o santo, porque António era um espelho da ternura e do perdão de Deus.

Os paduanos consideram-no o seu santo padroeiro e os portugueses, orgulham-se de ver um filho da sua pátria – Fernando – tão universalmente admirado. Na verdade, António é um santo sem fronteiras, porque quem é verdadeiramente grande supera os limites geográficos e nacionais.

Filho de Deus e membro da Igreja, Santo António de Lisboa, é também Santo António de Pádua, mas é, sobretudo, um santo popular e da igreja universal.

Fr. Osório Ximenes

Sem comentários:

Enviar um comentário